frases, fragmentos, textos, poesia
comentar
publicado por F-R-A-G-M-E-N-T-O-S, em 12.09.11 às 01:28link do post | favorito

Ele caminha e interrompe a cidade,

que não existe em sua cela escura,

como uma escura rachadura

numa taça atravessa a claridade.

 

Sombras das coisas, como numa folha,

nele se riscam sem que ele as acolha:

só sensações de tato, como sondas,

captam o mundo em diminutas ondas:

 

serenidade; resistência -

como se à espera de escolher alguém, atento,

ele soergue, quase em reverência,

a mão, como num casamento.

Rainer Maria Rilke

 


mais sobre mim
Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

14
16
17

18
19
20
21
22
23
24

29
30


posts recentes
pesquisar
 
blogs SAPO